1 0 5

DIAS PARA O CARNAVAL!

RaioX do Carnavalesco - Danilo Dantas

Danilo Dantas o administrador que conquistou o posto de Carnavalesco

Entrando em seu décimo ano desenvolvendo projetos artísticos no mundo do samba o jovem assina em 2019 o enredo da Dom Bosco de Itaquera

25/10/2018 Redação Liga SP - Foto: RaioX do Carnavalesco - Danilo Dantas

Apaixonado por Carnaval desde os seus primeiros anos de vida, Danilo Dantas sempre teve sua vida entrelaçada com a de uma escola de samba. Nascido próximo a quadra da Colorado do Brás, o menino de 11 anos, até então admirador da festa teve a oportunidade por curiosidade e insistência de acompanhar pela primeira vez um ensaio, foi o estopim para que o bichinho o mordesse, e assim, o contaminasse por essa paixão.

Filho de uma auxiliar de escritório e um motorista, Danilo é o caçula de uma família de dois irmãos, e até hoje não sabe explicar de onde surgiu esse amor pelo Carnaval. “Lembro da minha mãe muito cedo me acompanhando para assistir aos desfiles, e minha tia por motivos que até hoje desconheço me dando os CDs dos sambas de enredo para ouvir. A paixão só crescia a cada gesto desse, e eu confesso que não sei explicar de onde e nem como ela surgiu, mas nasceu e se tornou amor”, relembra.

O primeiro trabalho desenvolvido para o Carnaval, não demorou a acontecer, aos 14 anos, Danilo começa a ajudar no barracão da Colorado do Brás, e ao lado do então Carnavalesco, Eduardo Caetano colou as suas primeiras pedrinhas, adereçou os casais de mestre-sala e porta-bandeira e a ala das baianas. “Desde os meus dez anos eu comprava caderninhos e ficava inventado enredo de escola de samba, desenhava carros e fantasias, transpor essa brincadeira de criança para a realidade foi magico”, comemora.

Hoje com 32 anos, o artista é formado em Administração de Empresas, profissão que exerceu por sete anos, mas chegou um momento em que teve que escolher entre as duas carreiras. “Eu trabalhava em uma empresa de planos de saúde, era supervisor de vendas PJ, de repente me vi dividido, e tive que optar ou seguia na rotina de um escritório de segunda a sexta, ou virava o jogo e correr atrás do meu sonho. Já estava a 4 anos conciliando essa rotina de carteira assinada e barracão até que a agremiação que eu estava subiu para o acesso e fui convocado a trabalhar em tempo integral, foi aí que optei em seguir como Carnavalesco. Lembro que foi um desafio fazer uma escola que abriria o Carnaval do Grupo de Acesso, e para minha alegria o resultado foi alcançado com êxito, conquistamos o quinto lugar e permanecemos no grupo”, se emociona.

Assinando em 2019 o seu décimo Carnaval, Danilo tem muito orgulho da história que escreveu ao longo desses anos. “O meu primeiro carnaval foi pela Tradição Albertinense, pelo Grupo 2 da UESP, em 2010, de lá para cá passei pela Colorado do Brás onde fiquei de 2011 a 2016, conquistei bons resultados e cheguei com a escola ao Grupo de Acesso 1. Com a Barroca Zona Sul tive duas passagens sendo ambas premiadas com título, em 2015 e 2017 do Grupo 1, atual Grupo de Acesso 2”, rememora saudoso.

Convicto de que o seguimento não é apenas o seu sustento, o atual Carnavalesco da Dom Bosco de Itaquera tem prazer pelo oficio, e se divide atuando também no Departamento de Carnaval da Dragões da Real. “Hoje o Carnaval é a minha vida, durmo, como, acordo, enfim, penso 24 horas nele. O fato de conciliar essas duas tarefas na Dom Bosco e na Dragões só me revigora. Na Dom Bosco de Itaquera faço de tudo um pouco, na Dragões da Real atuo em um novo departamento, cuido da área de fantasias, esse setor nasceu justamente para dar o auxílio ao Carnavalesco da agremiação”, explica.

Quando questionado se voltaria no tempo, se a escolha que fez foi a mais prudente para sua vida, o Carnavalesco assegura que não se arrepende de nenhum passo que deu. “Talvez pensaria mais, na empresa que eu trabalhava tinha estabilidade e uma certa segurança, mas não me arrependo, estou feliz com os rumos que a minha vida tomou”, argumenta.

Marcado pela atualidade, o enredo intitulado “Paz, amor e revolução - A juventude em transformação”, que será apresentado pela Dom Bosco de Itaquera é autoral, e Danilo se empolga ao falar do projeto. “Nosso enredo tem tudo a ver com o momento que nosso país está passando, um momento de transformação. Resgatando os pensamentos e os ideias de uma juventude que através da coragem, das artes e da tecnologia mudaram a forma de pensar da sociedade. Falamos de um tempo entre a década de 60 e 70 que os jovens tiveram o poder de enfrentar o sistema autoritário que dominava as grandes nações em busca da liberdade de expressão”, celebra.

Ciente da necessidade de executar um bom desfile pelo Grupo de Acesso 2, o Carnavalesco promete quebrar tabus, mostrar as mudanças de comportamento e todas as ideias de transformação que seguem ecoando nos quatro cantos do planeta. “Quero transportar para avenida um grito de alerta para que os jovens de hoje resgatem esse pensamento de liberdade e transformação, que saiam as ruas não apenas para mudar o valor de uma tarifa ou tirar um presidente, mas sim, mudar e influenciar as futuras gerações com uma nova forma de pensar e agir como os jovens de 60 e 70”, assinala.

Antes de colocar um ponto final nesse bate papo exclusivo com a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, Danilo Dantas declara que se sente privilegiado e que já realizou muitos sonhos dentro e fora do Carnaval. “Hoje os meus sonhos são simples, quero dar uma vida melhor para os meus pais e continuar fazendo o que gosto, Carnaval, com resultados e conquistas. Ter o apoio da família em todos os aspectos é o meu combustível”, finaliza o Carnavalesco.