Igor Catanhede

Estrela do Terceiro Milênio apresenta bateria só de mulheres

Versão feminina da bateria Pegada da Coruja tem cerca de 50 ritmistas

16/10/2019 Redação Liga SP - Foto: Igor Catanhede

A bateria de uma escola de samba é um setor predominantemente formado por homens, mas a presença das mulheres entre os ritmistas tem sido cada vez maior. Acompanhando essa crescente, a Estrela do Terceiro Milênio estreou neste mês uma bateria inteira de mulheres, lideradas pela mestre Nívea Alves. 

"Há muito tempo tenho o desejo de montar um projeto só com as mulheres ritmistas que a cada ano ganham mais espaços e destaque nas baterias do carnaval de São Paulo. O projeto social Estrela em Ação da escola tinha esse mesmo sonho e juntos conseguimos formar essa bateria. Agora é com elas!", diz Vitor Velloso, mestre da bateria Pegada da Coruja. As 50 ritmistas da bateria feminina também fazem parte da versão tradicional do setor na Estrela do Terceiro Milênio, inclusive a mestre Nívea, que é diretora de chocalho e agogô. “Apesar de eu estar na minha casa e entre muitos amigos, assumir um novo projeto é sempre um desafio. Também era um desejo meu e das meninas que estão na PDC. Nossa estreia foi demais e elas estão muito felizes. Vamos fazer história na agremiação”, conta.

O projeto é organizado em parceria com o departamento social da escola da zona sul e estreou em outubro por conta da campanha “Outubro Rosa”, para a prevenção do câncer de mama. 

Em 2020, a Estrela do Terceiro Milênio presta uma homenagem aos artistas de Parintins que fazem o Carnaval de São Paulo e abre os desfiles do grupo de Acesso no dia 23 de fevereiro, domingo.