7 2 ,

DIAS PARA O CARNAVAL!

Divulgação/Liga SP

Liga SP firma parceria com Senai-SP e Sebrae e oferece cursos gratuitos

Fábrica do Samba foi ponto de encontro entre o presidente da Liga SP e o Paulo Skaf para assinar o Programa Comunitário de Formação Profissional

07/06/2018 Redação Liga SP - Foto: Divulgação/Liga SP

A Liga SP, se reuniu nessa terça-feira (5), na Fábrica do Samba I com o presidente da FIESP, CIESP, SESI-SP, SENAI-SP, IRS (Instituto Roberto Simonse) e SEBRAE-SP, Paulo Skaf, para assinar a parceria em prol do Programa Comunitário de Formação Profissional. O projeto visa realizar, gratuitamente, cursos de aperfeiçoamento e treinamentos aos profissionais do carnaval, contribuindo para a qualidade da maior festa paulistana.

O presidente da entidade, Paulo Sérgio Ferreira, está muito satisfeito com esse trabalho em conjunto entre Liga SP, Senai-SP e Sebrae. Para ele, unir todas essas forças à maior festa popular paulistana “é um marco importante hoje na história do Carnaval, para que realmente ele cresça de forma consistente”, já que o “crescimento do carnaval tem sido notório, e temos que nos preparar na parte estrutural, que são os elementos alegóricos e as fantasias. Com esses cursos, a Liga SP está dando um passo à frente na modernidade”, assegura Paulo Sérgio Ferreira.

 

Programa Comunitário de Formação Profissional tem como objetivo formar, qualificar e capacitar os profissionais envolvidos com o carnaval paulistano, além de estimular ao empreendedorismo. Para o presidente das instituições de serviço social autônomo e sem fins lucrativos, Paulo Skaf, “o Carnaval gera muito emprego, gera muita riqueza, e muitas oportunidades. Agora com essa parceria vai ser possível tirar mais proveito de uma forma mais técnica, com mais tecnologia, com mais eficiência, para que realmente os profissionais possam aprimorar os seus trabalhos. O que o Carnaval traz, o que a Liga SP traz, é tecnologia. É conhecimento do Senai e do Sebrae para que realmente aprimore e dê mais oportunidade ainda a muitas pessoas”, assegura, Paulo Skaf.

Durante a cerimônia também estiveram presentes os dirigentes das escolas de samba. Segundo o Eduardo dos Santos, presidente da atual campeã do Carnaval: a Acadêmicos do Tatuapé, considera fundamental e de suma importância essa parceria, que “vai trazer mais qualidade, mais segurança, mais capacitação técnica, mais profissionalismo e mais tecnologia. Estamos muito esperançosos que isso [o Programa Comunitário de Formação Profissional] seja mais um divisor de águas no Carnaval. É o Carnaval de São Paulo que sai ganhando, e mais uma vez reforça o slogan da nossa Liga SP, da nossa união, que é Rumo ao Maior Carnaval do Brasil”, comenta o presidente da Acadêmicos do Tatuapé, Eduardo dos Santos.

Sobre o Programa Comunitário de Formação Profissional:

O programa de capacitação de treinamentos tem como objetivo desenvolver o aprimoramento profissional, com o intuito de proporcionar conhecimento, técnica, maior geração de renda, além de aumentar as possibilidades profissionais dentro desse universo carnavalesco.

Os cursos abrangerão aulas teóricas e prática voltados as diversas áreas envolvidas pela produção do carnaval, como: Corte, Modelagem e Costura Reta, que atendem a melhoria na produção de Fantasias. Haverá ainda cursos designados para o aperfeiçoamento e segurança para a construção das Alegorias, incluindo Soldagem, Marcenaria e Segurança do Trabalho.

A parceria entre a Liga SP, SENAI e SEBRAE também integrará consultoria na área de Sustentabilidade e Cuidados com o Meio Ambiente, por meio do aperfeiçoamento e tratamento do EPS (isopor), gerado pelas escolas de samba.

 O Programa, com cursos reconhecidos pelo mercado, tem a expectativa de beneficiar, inicialmente, cerca de 300 pessoas da comunidade, sendo jovens a partir de 14 anos de idade e adultos envolvidos nas agremiações das 34 escolas de samba, do Grupo Especial e de Acessos

 As aulas, com início previsto para julho/2018, serão ministradas por professores do SENAI, na Fábrica do Samba II (antiga Fupe), na unidade móvel do SENAI atuando dentro das comunidades, e nas próprias escolas fixas da instituição. Após o término do curso, os alunos recebem certificado de conclusão.