Imperador do Ipiranga

Ficha técnica

Fundação: 27/09/1968

 

Cores oficiais: azul, branco, amarelo e verde

 

Presidente: Leda do Carmo

 

Vice-presidente: Rodrigo Souto

 

Carnavalesco: William Pereira

 

Mestre de Bateria: Vinícius Teixeira

 

Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira: Lucas Rodrigues e Verônica Nascimento

 

Diretor de Carnaval: Ramon Lima

 

Diretores de Harmonia: Wilson Roberto Santiago e Franco Lee Almeida

 

Rainha da Bateria: Gabriela Lélis

 

Intérprete: Rodrigo Atração

 

Coreógrafo da Comissão de Frente: Alla Geremias

 

Colocação em 2019: 5º lugar - grupo de Acesso II

 

Ordem do desfile em 2020:
Grupo de Acesso II - Segunda - 24/02
11ª escola a desfilar  - 04h20

 

Enredo de 2020: “Makeda — A Saga da Rainha de Sabá e o Trono dos Dois Mundos”

Enredo 2019

 
 

Letra do Samba

MAKEDA — A SAGA DA RAINHA DE SABÁ E O TRONO DOS DOIS MUNDOS 

 

O tempo bordou a história
Preservou seu encanto no sol do Oriente
E ao resguardar o sentimento
Colheu a mais linda semente
Contou um sábio imperador
Guardião e defensor das lembranças da rainha
Que o trono de dois mundos se uniu
Na missão que refletiu a profecia
Makeda soberana de Sabá
Tem o dom de proteger seu povo
E quem sabe construir um mundo novo

 

Vai navegar nas espumas desse mar
No afã de encontrar o seu destino
Matizes e cores, visão de esplendor
A estrela se transforma numa flor

 

Nas terras do Rei Salomão
Um suntuoso salão esperando a caravana
Na fé de cumprir a missão
Templos, tesouros perdidos
Riquezas que jamais vão se acabar
A arca vai levar a esperança
E Deus o meu caminho vai guiar

 

É a força da rainha que acende a chama
Sonho que renasce no Ipiranga
O legado de Sabá, mensagem de amor
A luz do Carnaval da Imperador

 

Compositores: Sukata, Thiago Morganti, Jairo Roizen, Rodrigo Atração, André Valêncio, Cláudio Mattos, Luan e Meiners

Nossa história

Localizada na região da maior favela paulistana, a comunidade de Heliópolis, a Imperador do Ipiranga tem este nome por causa de Dom Pedro I, que declarou a Independência do Brasil em relação a Portugal no local que é hoje o Bairro do Ipiranga.
 
Fundada em 1968 por moradores da Vila Carioca e da Vila Independência, a Imperador permaneceu por muito tempo como um departamento da Sociedade Amigos das Vilas, mas tempos depois se separou, com estatuto próprio.
 
Na primeira apresentação da escola, houve a ideia de fazer um desfile carnavalesco de protesto com carros alegóricos imitando barcos. A ideia deu certo e o desfile foi um sucesso, com muitos carros alegóricos e a participação de várias crianças pelas ruas da região.
 
A Imperador do Ipiranga desfilou pela primeira vez em 1969. Em 1970, a bateria era composta pela criançada da Favela do Macuco. No entanto, o maior Carnaval apresentado pela escola foi em 1972, com o enredo “Brincando na Passarela do Samba”, um tema que mostrava os brinquedos de criança e que resultou no título do Grupo de Acesso. No ano seguinte, fez sua melhor participação na elite terminando no terceiro lugar.
 
Uma curiosidade em sua história, ocorreu no carnaval de 1976, quando o jurado de Comissão de Frente esqueceu-se de dar a nota à escola, que acabou perdendo o título do Grupo 3.
 
A agremiação passou a maior parte da década de 1980 no Grupo Especial paulistano, alternando entre a divisão principal e o acesso de lá para cá. A última participação da Imperador na elite foi em 2010.
 

Últimas notícias Ver todas