Mocidade Unida da Mooca

Ficha técnica

Fundação: 18/03/1987

 

Cores oficiais: vermelho e verde

 

Presidente: Rafael Falanga

 

Diretor de Carnaval: Vitor Gabriel

 

Carnavalesco: André Rodrigues

 

Mestre de Bateria: Caik Holtz Mano

 

Rainha de Bateria: Karoline Morais

 

Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira: Jefferson Gomes e Janny Moreno

 

Diretores de Harmonia: Vanderley Silva, Neto Reis, Rodrigo Romano e Luiz Leite

  

Coreógrafo da Comissão de Frente: Nildo Jaffer

 

Intérpretes: Gui Cruz e Clayton Reis

 

Colocação em 2019: 5º lugar - Grupo de Acesso I

 

Ordem do desfile em 2020
Grupo de Acesso - Domingo - 23/02
5ª escola a desfilar - 01h00

 

Enredo de 2020: "A Ópera Negra de Abdias do Nascimento"

Enredo 2019

Letra do Samba

A ÓPERA NEGRA DE ABDIAS DO NASCIMENTO

 

Ecoa o clamor da resistência
A negra voz que ilumina a consciência
Tingindo de preto os palcos de marfim
O sonho de Palmares renasce em mim
Ôôô... pelo povo e meus irmãos
Ôôô... minha luta não foi em vão
A luz de Aruanda na ribalta
Liberta as amarras da realidade
Arranca a mordaça e diz a verdade

 

Kaô Kaô... Kabecilê Xangô
Teu leão de batalha eu sou
Aos olhos do rei a justiça revela
Poder ao povo da favela

 

Convoco tambores de axé
Num elo de fé, por nossa raiz...
Não deixem cair no comum,
Confundirem mais um,
Sangra nosso país!
Vem meu irmão,
À luta contra a intolerância
Estou presente em cada coração
Resistindo a ignorância
Eu sou a força de quem nunca desistiu
O “Nascimento” de um novo Brasil

 

Eu tenho o meu valor
Respeite a minha cor...
Só quero paz e igualdade
Sob a luz de Olorum, uma história de atitude
A Mooca é a voz da negritude

 

Compositores: Dom Marcos (in memorian), Vitor Gabriel, Gui Cruz, Rodrigo Minuetto, Portuga, Rodolfo Minuetto, Luciano Rosa, Reinaldo Marques, Marçal, Imperial e Rafael Falanga

Nossa história

Na década de 1980, um grupo de amigos que se reuniam no Largo São Rafael, no bairro da Mooca, para confraternizações nos finais de semana com samba de primeira qualidade, regado a muita cerveja. A partir desses encontros semanais, nascer o bloco Solta Franga, que desfilava pelas ruas da Mooca durante o carnaval e participava das festas locais durante todo ano, se tornando um dos símbolos do bairro.

 


Devido ao sucesso das apresentações e o crescimento do bloco, em 18 de março de 1987 foi fundado o Grêmio Recreativo Escola de Samba Mocidade Unida da Mooca – MUM, com o propósito de representar o bairro da Mooca, um dos mais tradicionais de São Paulo, e seus descendentes da colônia italiana, na maior festa popular do mundo, que é o carnaval brasileiro.

 


Em 1988, a MUM realizou seu primeiro desfile, sob a gestão presidente Roberto Falanga, onde sagrou-se vitoriosa. A Diretoria contava com o apoio de varias personalidades do samba, na época entre eles, Armando da Mangueira, um dos compositores e cantores mais famosos do samba paulistano.

 


Após um período turbulento nas história da MUM, Rafael Falange, filho do primeiro presidente da entidade, assume a direção da MUM, já conquistando o vice-campeonato do Grupo 3 da UESP, em 2009, com 175,25 pontos, garantindo o direito de desfilar no Grupo 2, no ano seguinte, quando conquistou outro vice-campeonato sendo promovida ao Grupo 1.

 


Durante os carnavais de 2014 e 2016, a MUM passou por uma sequência de rebaixamentos e acessos entre os grupos 2 e 1, sendo que no carnaval 2016 conquistou o título do grupo 2, voltado assim para o grupo 1 no carnaval de 2017, quando exaltou a história do circo, com o enredo Sob Um Céu de Lona, Um Chão de Estrelas, conquistando o vice-campeonato e se consolidando de vez no Grupo 1.

 


Em 2018, a escola conquistou o título do grupo de Acesso 2 com o enredo "A Santíssima Trindade de Oyó", conseguindo uma inédita vaga no grupo de Acesso do carnaval paulistano em 2019.

Últimas notícias Ver todas