Pérola Negra

Ficha técnica

Fundação:  07/08/1973

 

Cores oficiais: vermelho, azul, branco e preto

 

Presidente: Sheila Monaco

 

Carnavalesco: Anselmo de Brito

 

Mestre de Bateria: Neninho

 

Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira: Arthur Santos e Eliana Sales Leite

 

Diretores de Carnaval: João Ricardo Alexandre e Giovana Natali Monaco dos Santos

 

Diretor de Harmonia: Rafael Tadeu Valério

 

Rainha da Bateria: Samara Carneiro

 

Intérprete: Daniel Collete

 

Coreógrafo da Comissão de Frente: Robério Theodoro

 

Colocação em 2019: campeã do grupo de Acesso I

 

Ordem do desfile em 2020:
Grupo Especial - Sábado - 22/02
1ª escola a desfilar - 22h30

 

Enredo: “Bartali Tcherain – A estrela cigana brilha na Pérola Negra!”

Enredo 2019



Letra do Samba

BARTALI TCHERAIN — A ESTRELA CIGANA BRILHA NA PÉROLA NEGRA

 

Sou eu filho do oriente
Sob a luz do luar... valente
Mesmo perseguido não irei me curvar
Carrego meus costumes e heranças
A esperança sempre foi motivação
Se a vida insiste em dor e sofrimento
Levo na bagagem o talento que condena a inquisição
No velho continente, deixei marcas nessa gente
Minha cultura aos quatro cantos florescia
Paixão que fez raiz em Andaluzia

 

Gira cigana, saia rodada
O seu bailado, acende a fogueira
Tem castanholas, violinos e pandeiros
É festa pra dançar a noite inteira

 

Na palma da mão destino traçado
Presente e futuro, nos levam ao passado
Energia reluz no cristal
A carta da sorte espanta o mal
Sou um bandoleiro vagando na vida
Coberto de ouro, paixão colorida
Nas minhas andanças de longas jornadas
Cheguei ao Brasil
A terra de encantos mil
Olhai por nós, oh Santa Sara
Olhai por nós... salve a cigana Madalena
A nossa voz

 

Sou a força do bem, emoção irradia
A estrela da sorte é a luz e me guia
Minha Pérola é a escola que eu amo
Joia Rara do samba e do povo cigano

 

 

Compositores: Turko, Silas Augusto, Maradona, Rafa do Cavaco, Zé Paulo Sierra, Luis Jorge, Miguel Tyesco, Abílio Junior e Pixulé

Nossa história

Do sonho e da união de sambistas do Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos de Vila Madalena e Bloco Boca das Bruxas surge a Escola de Samba Pérola Negra. O nome apareceu da visão de seus fundadores por ser a Pérola Negra uma joia rara, usando a alusão de “A Joia Rara do Samba”. Outra versão é que seu nome é sugestão de seu fundador, que observava uma garrafa da cerveja Pérola Negra.
 
Sua estreia no Carnaval paulistano ocorreu no ano de 1974, levando para a avenida São João o tema enredo “Piolim, Alegria Circo História”, resultado: Pérola Negra campeã do Grupo 3 da UESP.
 
Com esse resultado surpreendente, pessoas ainda indecisas resolveram aderir ao projeto e no Carnaval de 1975, quando contagiaram a avenida com o enredo “A São Paulo de Adoniran”, o resultado não poderia ser outro senão: Pérola Negra, campeã do Grupo 2 da UESP. Em 1976, com o enredo “Portinari, Pintor do Povo”, passou a fazer parte da elite do Carnaval paulistano, tornando-se a "febre" do momento.
 
Tiveram vários momentos inesquecíveis de glórias e desafetos, alegrias e tristezas, mas sem perder a paixão pelo samba que é a nossa alegria palavras bem lembradas na letra do nosso hino; composto pelo poeta Pasquale Nigro, compositor e um dos idealizadores da escola. Morador da tão singular comunidade da Vila Madalena e ainda ativo nos assuntos da escola.
 
A Pérola Negra está localizada em uma região da cidade de São Paulo que vem se valorizando nos últimos tempos, a Vila Madalena. Mas a sua presença no lugar vem desde quando a Vila era um bairro de operários e ainda não tinha todo o agito dos dias atuais.

Últimas notícias Ver todas