1 2 ,

DIAS PARA O CARNAVAL!

Pérola Negra

Ficha técnica

Fundação: 07/08/1973

 

Cores oficiais: Vermelho, azul, branco e preto

 

Presidente: Sheila Monaco

 

Vice: Carlinhos Barbosa

 

Carnavalesco: Anselmo Brito

 

Mestre de Bateria:  Fernando Roberto Moreira (Neninho)

 

Primeiro Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Leno Tomaz e Eliana Sales Leite

 

Diretores de Carnaval: Giovana Monaco e João Ricardo Alexandre (Jhony)

 

Diretores de Harmonia: Fabio (Boy) e Rafael Valerio

 

Rainha de Bateria: Samara Carneiro

 

Intérprete: Daniel Colette

 

Colocação em 2018: 5º Lugar -  Grupo de Acesso I

 

Ordem do Desfile em 2019
Grupo Acesso I - Domingo - 03/03
Encerra os Desfiles da 3ª Noite - 04H00

 

Enredo de 2019: " Da Majestosa África, Tu És Negra Mulher Guerreira, A Verdadeira "

 

Enredo 2019



Letra do Samba

DA MAJESTOSA ÁFRICA, TU ÉS NEGRA MULHER GUERREIRA A VERDADEIRA PÉROLA NEGRA


Acorrentar o preconceito
E ver brilhar o sol de um novo dia
Acreditar no amor, sempre vale a pena
Vai ter kizomba na Vila Madalena



Ao despertar...
Reflete a luz sagrada de Orunmilá
É o poder da criação
A magia de Yamim Oxorongá
Mãe, raiz ancestral, força do meu ritual
A vida é sua responsabilidade
Então, abençoa o meu chão
Das savanas e da natureza
Berço da humanidade
De guerreiras capazes de preservar
O Baobá, a coragem pra enfrentar
Guerreiras, rainhas, a soberania
A vontade de provar o seu lugar

 

Ôôô... É canto, é ginga ôôô...
É o toque do meu tambor
Quem traz na pele a valentia para defender
A jóia rara faz o sonho acontecer

 

Mares de dor e lamento
O sofrimento nas águas de Iemanjá
É hora de plantar a liberdade
Guardar a saudade e lavourar
Ao mudar o tom, ensinar a ser feliz
A voz, a expressão, o seu saber
Ver a arte florescer
Pérola, a fé no encanto dos seus orixás
Dos seus terreiros e dos ideais
Do samba verdadeiro
Negra é resistência contra intolerância
É igualdade e esperança
Exemplo para o mundo inteiro

 

Compositores: Jairo Roizen, Celsinho Mody, Thiago Sukata, Valêncio, Filosofia Nando, Jadson Fraga, Tavares, Tubino e Meiners.

Nossa história

Do sonho e da união de sambistas do Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos de Vila Madalena e Bloco Boca das Bruxas surge a Escola de Samba Pérola Negra. O nome apareceu da visão de seus fundadores por ser a Pérola Negra uma joia rara, usando a alusão de “A Joia Rara do Samba”. Outra versão é que seu nome é sugestão de seu fundador, que observava uma garrafa da cerveja Pérola Negra.
 
Sua estreia no Carnaval paulistano ocorreu no ano de 1974, levando para a avenida São João o tema enredo “Piolim, Alegria Circo História”, resultado: Pérola Negra campeã do Grupo 3 da UESP.
 
Com esse resultado surpreendente, pessoas ainda indecisas resolveram aderir ao projeto e no Carnaval de 1975, quando contagiaram a avenida com o enredo “A São Paulo de Adoniran”, o resultado não poderia ser outro senão: Pérola Negra, campeã do Grupo 2 da UESP. Em 1976, com o enredo “Portinari, Pintor do Povo”, passou a fazer parte da elite do Carnaval paulistano, tornando-se a "febre" do momento.
 
Tiveram vários momentos inesquecíveis de glórias e desafetos, alegrias e tristezas, mas sem perder a paixão pelo samba que é a nossa alegria palavras bem lembradas na letra do nosso hino; composto pelo poeta Pasquale Nigro, compositor e um dos idealizadores da escola. Morador da tão singular comunidade da Vila Madalena e ainda ativo nos assuntos da escola.
 
A Pérola Negra está localizada em uma região da cidade de São Paulo que vem se valorizando nos últimos tempos, a Vila Madalena. Mas a sua presença no lugar vem desde quando a Vila era um bairro de operários e ainda não tinha todo o agito dos dias atuais.

Últimas notícias Ver todas