Rosas de Ouro

Ficha técnica

Fundação: 18/10/1971

 

Cores oficiais: azul, rosa e branco

 

Presidente: Angelina Basílio

 

Carnavalesco: André Machado

 

Mestre de Bateria: Rafael Oliveira

 

Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira: Luiz Antonio e Isabel Casagrande

 

Diretores de Carnaval: Osmar Costa, Leandro Lion, Evandro Souza e Victor Lebro

 

Diretores de Harmonia: Júlio Cesar Teixeira, Fernando e Bruno Raimundo Amaral

 

Intérprete: Royce do Cavaco

 

Coreógrafa da Comissão de Frente: Helena Figueira de Moura Ramos

 

Colocação em 2019: 3º lugar - grupo Especial

 

Ordem do desfile em 2020:
Grupo Especial - Sábado - 22/02
7ª escola a desfilar - 05h00

 

Enredo de 2020: “Tempos Modernos”

Enredo 2019

Letra do Samba

TEMPOS MODERNOS 

 

Sou eu, coração de aço
A cada passo, pronto pra sonhar
Meu mundo desfaço 
Feito criança, vou sorrir ou chorar...
Saudade do abraço amigo
Não consigo entender
Quem sabe, nas folhas do livro
Encontro o motivo, a luz do saber

 

O que será? Será...
Quero viver pra ver
Como vai ser o meu destino,
Se o meu futuro não é o mesmo de um menino?

 

Das mais belas mãos
Revoluções a nos guiar 
A inovação vem dessas mentes
O que esperar? 
Dona ciência, por favor, não leve a mal
Chegou a hora de rasgar o manual
Quero ver minha Roseira passar
É tempo de amar, é tempo de amar
Aprender, ensinar
Conectar as emoções, unir os corações

 

Eu sei que o tempo voa, e vai voar
Eterna como a Rosa, assim será
A nossa relação, não importa a geração,
Renascerá!

 


Compositores: Rapha SP, Aquiles da Vila, Vaguinho, Fabiano Sorriso, Rafa Crepaldi, Salgado Luz, JC Castilho, Guiga Oliveira, Leandro Flecha e Marcus Boldrini

Nossa história

A Sociedade Rosas de Ouro foi criada em 1971 por um grupo de quatro amigos: José Luciano Tomás da Silva, João Roque “Cajé”, José Benedito da Silva “Zelão” e Eduardo Basílio, seu eterno presidente, que permaneceu à frente da escola até outubro de 2003 e dá nome à quadra da escola.
 
No seu primeiro ano de desfile, em 1973, pelo Grupo 2, já ficou em quarto lugar. No ano seguinte ganhou o segundo grupo e subiu para o Grupo Principal. Ficou com o vice-campeonato em sua primeira aparição entre as grandes escolas. Seus sambas de enredo, nos primeiros anos de existência, foram feitos pelo compositor Zeca da Casa Verde.
 
Em 1983, veio a alegria maior para os componentes da “Roseira”, apelido carinhoso da escola, que ganhou o campeonato com o enredo “Nostalgia”, que era uma volta à São Paulo do começo do século XX. Nova conquista veio no ano seguinte.
 
Eentre 1990 e 1992, mais glórias. A Rosas sagrou-se tricampeã de forma consecutiva e ainda alcançou o lugar mais alto do Carnaval nos anos de 1994 e 2010.
 
Toda equipe da escola é comprometida com as atividades, desde o lançamento do enredo até o desfile oficial. Não há período sazonal, o trabalho liderado pela presidente Angelina Basílio é intenso durante o ano inteiro.

Últimas notícias Ver todas